10/09/2018
  • Google+
  • LinkedIn

Sicredi tem dois projetos entre os dez finalistas do Prêmio Melhores Práticas nos Departamentos Jurídicos

Por Galeria de Comunicações

No próximo dia 27 de setembro, os participantes do Congresso das Melhores Práticas na Gestão de Departamentos Jurídicos 2018 vão ajudar a eleger os três finalistas do Prêmio Melhores Práticas na Gestão de Departamentos Jurídicos, premiação promovida pela InteliJur – Inteligência Jurídica em parceria com o FDJUR – Fórum de Departamentos Jurídicos e que está em sua quarta edição anual. Neste ano, 31 empresas inscreveram 42 projetos na premiação e uma banca examinadora composta por profissionais altamente qualificados já indicou os dez que participam dessa final de setembro, quando o público do Congresso vai ajudar a eleger os três que mais se destacaram.




Entre os dez projetos finalistas, estão os do Banco Cooperativo Sicredi, a única empresa até hoje que conseguiu ter dois cases na disputa final. Conforme Ana Maria Parenza, gerente jurídica da Sicredi, os projetos visam contribuir com a prática da gestão em departamentos jurídicos, especialmente na área consultiva. “Obtivemos grande êxito e ótimos resultados quando implantamos os projetos que, embora independentes entre si, são complementares para fins de gestão. Um dos cases trata da implementação de técnicas muito frequentemente utilizadas em startups, tais como PTM (propósito transformador massivo), OKR (Objective and Key Results), métodos ágeis e o kanban”, explica Parenza.

Segundo a executiva, as situações que cercavam o departamento jurídico consultivo à época, e que serviram como motivação para a implementação dessas técnicas, eram marcadas pelo elevado número e complexidade das consultas e demandas estratégicas, o que gerava dificuldade no acompanhamento pela gestão, assim como a visualização do andamento dessas demandas atendidas pelo time jurídico. “A combinação das técnicas - PTM, OKR, métodos ágeis e o Kanban - permitiu ao departamento maior visibilidade ao seu propósito, aos objetivos e às tarefas do dia a dia do time jurídico, a fim de tornar mais efetivo o acompanhamento das demandas estratégicas da instituição”, diz.

A gerente jurídica ressalta ainda que o suporte jurídico da Sicredi, até o fim de 2015, ocorria diretamente das empresas demandantes aos advogados do Banco Cooperativo por meio de diversos canais de comunicação, como e-mails, Skype, reuniões e ligações telefônicas. “Vale observar que são mais de 1.600 colaboradores do centro administrativo acionando diariamente o time jurídico consultivo. Neste contexto, o elevado número de consultas e orientações não formalizadas, com perda do histórico; a precariedade e descentralização de registros das consultas e dos pareceres jurídicos, o que dificultava a visibilidade da volumetria de demandas do departamento; a ausência de dados estatísticos a fim de permitir extração de informações gerenciais; a fragilidade de controle de cumprimento de prazos de retorno às consultas; a dificuldade na avaliação objetiva do desempenho quantitativo individual dos profissionais, inclusive para justificar o headcount do departamento; e a necessidade de workflow definido e de automatização de processos para fins de auditoria do atendimento do departamento, por empresa de auditoria externa; justificaram uma melhoria nesse aspecto operacional.”

O outro projeto atacou exatamente esses gaps, prossegue Parenza. “A solução encontrada foi a utilização de software próprio de requisições já utilizado por outras áreas, o qual foi customizado em 12 meses para adaptar-se às novas necessidades, sendo este novo modelo de atendimento amplamente divulgado aos parceiros internos. Por meio dessa solução, conseguimos concentrar as consultas ao departamento jurídico consultivo em um canal único de registros, automatizar o SLA e, também, extrair dados estatísticos e informações gerencias sobre as demais demandas atendidas no âmbito consultivo”, ela explica.


Prêmio estimula aprimorar a gestão

Parenza acrescenta que o mercado possui inúmeras soluções para o gerenciamento do contencioso judicial e administrativo, mas sempre foi deficitário para gerir a área de consultoria jurídica. “É exatamente por isso que ambos os projetos ganham destaque pela criatividade, facilidade, baixo custo de implementação e controle dos trabalhos e, acima de tudo, ganho em eficiência quando implementados para a gestão de departamento jurídico com foco exclusivamente consultivo”, afirma a gerente jurídica da Sicredi, para quem a classificação dos dois projetos entre os dez melhores deste ano do Prêmio Melhores Práticas na Gestão de Departamentos Jurídicos estimula ainda mais o aprimoramento da gestão corporativa da advocacia.

“Essa premiação permite aos participantes e interessados acesso a cases práticos, implementados por departamentos jurídicos de diversas corporações e níveis de serviços prestados que possibilita verificar os desafios enfrentados e os resultados obtidos após as implementações das melhorias pelos expositores. Ter um benchmarking é fundamental para a prática da gestão na advocacia empresarial, ainda mais quando os cases apresentados passaram, primeiramente, por uma criteriosa seleção realizada por uma banca julgadora dentre os inscritos, o que faz melhorar a cada edição a exposição de novas ideias que poderão ser implementadas ou adaptadas à realidade de cada departamento”, diz a executiva.

A Sicredi é instituição financeira cooperativa com 115 anos de existência, mais de 3,7 milhões de associados e referência internacional pelo modelo de atuação em sistema – com 122 cooperativas de crédito filiadas, que operam com uma rede de atendimento de 1.581 agências. A estrutura da Sicredi é formada ainda por cinco Centrais Regionais (acionistas da Sicredi Participações), uma Confederação, uma Fundação, um Banco Cooperativo e suas empresas controladas. “Todas essas entidades, juntas, formam a Sicredi e adotam um padrão operacional único. A atuação em sistema permite ganhos de escala e aumenta o potencial das nossas cooperativas de crédito para exercer a atividade em um mercado no qual estão presentes grandes conglomerados financeiros”, observa Parenza. A Sicredi tem também como parceiros estratégicos internacionais o Rabo Development B.V. (RABOBANK) e a International Finance Corporation (IFC).

O Departamento Jurídico Consultivo da Sicredi, denominado Gerência Jurídica de Negócios, tem como propósito “ser o parceiro jurídico no desenvolvimento dos negócios do sistema Sicredi”, diz Parenza, “atendendo as consultas jurídicas relacionadas ao planejamento estratégico e vinculadas ao desenvolvimento e manutenção dos diversos produtos, negócios, contratos e atos societários”. O Departamento é composto por nove advogados e o volume de demandas atendidas por esses especialistas atingiu 3.837 em 2017, um aumento de 6,34% quando comparado ao ano anterior.

O Congresso das Melhores Práticas na Gestão de Departamentos Jurídicos 2018 será realizado no dia 27 de setembro, no Hotel Maksoud Plaza, na capital paulista, das 9h às 18h. Já o primeiro, segundo e terceiro colocados serão conhecidos na cerimônia do Prêmio Melhores Práticas na Gestão de Departamentos Jurídicos, a ser realizada também em São Paulo no dia 28 de novembro.


 
A InteliJur é uma empresa de informação e relacionamento focada no mercado jurídico. Por intermédio do portal, reúne advogados de empresas (FDJUR), advogados de escritórios e prestadores de serviços, com notícias, informações e pesquisas. Através do Diretório Jurídico é possível que os departamentos jurídicos ou outros advogados interessados em prestadores de serviços jurídicos encontrem os escritórios com perfil ideal para contratação. Eles podem selecionar o perfil do escritório selecionado por localização, porte do escritório, áreas jurídicas de atuação e até por setores da economia que o escritório tenha expertise.
 
O FDJUR – Fórum de Departamentos Jurídicos – é o maior e mais completo fórum de relacionamento e discussão de boas práticas na gestão de departamentos jurídicos do País. Foi criado há dez anos como uma associação sem fins lucrativos e exclusiva para profissionais de departamentos jurídicos. Por intermédio de ampla rede de contatos, interage com mais de 10.600 profissionais de departamentos jurídicos em 4.887 empresas. Tem a missão de estimular e promover debates, estudos e pesquisas; investir no conhecimento técnico, além de valorizar, reconhecer e premiar as boas práticas de gestão na área.

Uma área de informações relevantes ao advogado interessado em aprimorar seus conhecimentos em gestão.

Participe

Oportunidades

Boletins Informativos