15/05/2018
  • Google+
  • LinkedIn

Lançamentos de novas tecnologias também são destaques na Legal Tech Forum

Por Galeria de Comunicações

A poucos dias de o hotel Maksoud Plaza Hotel, na capital paulista, abrir as portas para receber um dos principais eventos de tecnologia voltado para departamentos jurídicos de empresas e escritórios de advocacia do país, as expositoras avisam que já estão bem preparadas para apresentar seus lançamentos e inovações durante os dois dias da Legal Tech Forum, em 22 e 23 de maio. Evento idealizado para ser um fórum de debates e de disseminação de novas tecnologias com foco na área do Direito, o espaço para exposição contará nesta edição com quase duas dezenas de empresas que investem permanentemente em pesquisa e desenvolvimento de soluções tecnológicas para melhorar a produtividade, aumentar a segurança e eficácia, bem como reduzir custos de escritórios e departamentos jurídicos de companhias de todos os portes.

“É um evento completo. No Congresso, são mais de 20 palestrantes com larga experiência que vão atualizar os participantes nos debates que envolvem temas sobre segurança da informação, direito digital, eficiência e produtividade, tecnologia nos tribunais, entre outros de grande interesse da área do Direito. Já na área de exposição, serão apresentadas muitas inovações. É uma grande oportunidade para as empresas de tecnologia lançarem produtos e serviços, além de trocarem informações com um público altamente selecionado e relevante: mais de 300 advogados de escritórios e departamentos jurídicos de empresas”, explica José Nilton Cardoso de Alcântara, diretor do Intelijur, que organiza a Legal Tech Forum.




Entre as expositoras, destacam-se a participação da startup brasileira Acordo Fechado, que surgiu em 2014 dentro de um grupo de estudos da Escola de Direito da FGV Rio – Fundação Getulio Vargas e depois foi acelerada no Espaço Nave da Estácio; e da multinacional Ventura, fundada por profissionais com mais de três décadas de experiência em segurança da informação, especialmente em combate a delitos praticados por meios eletrônicos. “Contribuímos com órgãos públicos e a sociedade civil, bem como provemos suporte especialista a escritórios de advocacia para litígios em geral. Criamos produtos e serviços disruptivos que habilitam qualquer pessoa, inclusive o leigo, a se defender e conduzir uma investigação digital do início ao fim, com baixo custo e máxima proteção jurídica”, ressalta Bruno Barreto, Country Manager da Ventura.

A Acordo Fechado chegou ao mercado há cerca de dois anos com um sistema premiado. “Como já tínhamos a experiência de trabalhar dentro de um grande escritório, entendíamos diversas necessidades do mercado e o projeto que mais nos entusiasmou foi o de criar uma plataforma de conciliação e negociação online. Posteriormente em 2015, submetemos o projeto junto à Espaço Nave da Estácio e fomos pré-selecionados dentre 150 startups. Após seis meses de muito aprendizado e mudança de ‘mindset’, ultrapassamos todas as etapas de validação para consolidação da startup, ficando em primeiro lugar e sendo agraciados com alguns prêmios. Por fim, em julho de 2016, lançamos nosso produto e hoje contamos com grandes players do mercado jurídico em nosso portfólio. Também já superamos a marca de mais de 100.000 casos tratados”, conta Rafael Dias, sócio fundador da Acordo Fechado.



O que elas vão mostrar na Legal Tech

A Acordo Fechado, que neste momento já passa por uma segunda rodada de investimentos externos com o objetivo de potencializar seu crescimento e consolidar a marca, como observa Dias, vai mostrar que o sistema tecnológico que desenvolveu é flexível e pode se adaptar às diversas necessidades do setor, agregando valor a operações distintas de departamentos jurídicos de empresas e escritórios de advocacia de médio e grande portes. “Nossa proposta é ajudar na desjudicialização de casos bem como diminuir o tempo de vida útil dos processos, através dos métodos alternativos de solução de conflito, pelo conceito de ODR (online dispute resolution). Dessa forma, conseguimos celebrar acordos em questão de dias ou mesmo horas, usando como canal a internet e outros meios não presenciais”, afirma Dias.

Segundo o executivo, por meio da plataforma, casos com menor complexidade podem ser resolvidos de forma célere e com custo reduzido. “Diversos benefícios são gerados de forma direta e indireta; a economia gerada com uma política de acordo bem estruturada, diminuição de contingência, melhor relacionamento e manutenção com a base de clientes, e possibilidade de maior atenção aos casos estratégicos. Para os advogados e autores, a possibilidade de resolução do caso de forma rápida e satisfatória, sem custo, deslocamento e morosidade. Para os Tribunais, a possibilidade de término dos processos num prazo bem menor que o convencional, trazendo também redução de custos e ajudando nas metas internas”, ele pontua.

Já a Ventura apresentará o Safe Hold e o webpreserve, ambos voltados à preservação de evidências. “O primeiro produto foi desenvolvido para a clonagem de computadores (laptops/desktops) com cadeia de custódia e assinaturas digitais (hashes), o que possibilita a perícia dos computadores com um valor abaixo do mercado. O segundo produto possibilita a preservação de URLs com cadeia de custódia e assinatura eletrônica (hash) da página web, possibilitando a utilização dos mesmos em possíveis ações judiciais”, explica Barreto.

O Manager da Ventura acrescenta que o Safe Hold é destinado para advogados, departamentos de Compliance, departamentos de investigação de fraudes, assim como pessoas que queiram investigar condutas em computadores. O webpreserve atende a todas as pessoas que precisam preservar o conteúdo de uma URL (página web). Criadas pela própria Ventura, essas tecnologias consumiram dois anos intensos de pesquisa e desenvolvimento para chegar ao mercado.
 





InteliJur é uma empresa de informação e relacionamento focada no mercado jurídico. Por intermédio do portal, reúne advogados de empresas (FDJUR), advogados de escritórios e prestadores de serviços, com notícias, informações e pesquisas. Através do Diretório Jurídico é possível que os departamentos jurídicos ou outros advogados interessados em prestadores de serviços jurídicos encontrem os escritórios com perfil ideal para contratação. Eles podem selecionar o perfil do escritório selecionado por localização, porte do escritório, áreas jurídicas de atuação e até por setores da economia que o escritório tenha expertise.

FDJUR – Fórum de Departamentos Jurídicos – é o maior e mais completo fórum de relacionamento e discussão de boas práticas na gestão de departamentos jurídicos do País. Foi criado há dez anos como uma associação sem fins lucrativos e exclusiva para profissionais de departamentos jurídicos. Por intermédio de ampla rede de contatos, interage com mais de 10.600 profissionais de departamentos jurídicos em 4.887 empresas. Tem a missão de estimular e promover debates, estudos e pesquisas; investir no conhecimento técnico, além de valorizar, reconhecer e premiar as boas práticas de gestão na área.

Uma área de informações relevantes ao advogado interessado em aprimorar seus conhecimentos em gestão.

Participe

Oportunidades

Boletins Informativos