06/03/2018
  • Google+
  • LinkedIn

Evento reunirá nomes expressivos do Compliance Corporativo

Seminário também contará com atores importantes no combate à corrupção do cenário público nacional como Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato

Por Galeria de Comunicações

São Paulo, 06 de março de 2018 - Muitos indicadores de mercado apontam que tem crescido o número de empresas que operam no País e investem em regras de compliance, após os grandes escândalos de corrupção que tem assolado o Brasil e reduzido gigantes empresariais à metade da sua potência anterior, bem como a entrada em vigor, em 2014, da chamada Lei Anticorrupção, que penaliza com multa de até 20% do faturamento bruto anual as empresas que cometem atos ilícitos. Ter mecanismos contra fraudes praticadas por funcionários pode beneficiar as corporações infratoras, de acordo com a mesma lei, que colaborem com a poder público na elucidação desses casos.

O universo, é claro, ainda é pequeno, quando comparado a outros países, porém pesquisa da consultoria Deloitte com 103 empresas mostra que 30% delas tinham programa estruturado de compliance em 2013, percentual que subiu para 65% três anos mais tarde. Já um estudo da consultoria Protiviti com 642 companhias aponta que 52% tinham mecanismos para combater riscos de desvios éticos e fraudes, em 2017. Mas se o Brasil tivesse abraçado há muito mais tempo regras de compliance em todos os campos, seja público ou privado, provavelmente o cenário de extrema corrupção que vem emergindo ao longo dos últimos anos seria menos severo e afetaria muito menos a economia interna, bem como os negócios das empresas brasileiras no mercado internacional.

Com o tema “Dilemas e Perspectivas do Compliance”, o seminário será realizado no dia 13 de março, das 8h às 18h, no Hotel Maksoud Plaza, na capital paulista. Contará com nomes expressivos do compliance corporativo, mas também com atores importantes no combate à corrupção do cenário público nacional, como Deltan Dallagnol, Procurador da República no Ministério Público Federal e coordenador da Lava Jato, e Thaméa Danelon, também Procuradora da República e integrante da mesma operação anticorrupção comandada pelo juiz Sérgio Moro. Os procuradores abordarão no evento o tema “O Compliance na Visão estatal”. As vagas são limitadas e para participar é preciso preencher uma ficha de inscrição, onde também é possível acessar breve perfil de todos os palestrantes:




O desenvolvimento do País, que viveu nos últimos anos uma das piores crises econômicas de sua história e que somente agora começa a se recuperar, mas bem lentamente, é afetado por indicadores como o do ranking mundial de corrupção, elaborado pela Transparência Internacional e no qual o Brasil está no 96º lugar entre 180 países; que, por sua vez, ajuda a colocar o País no 80º lugar no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial elaborado em parceria com a Fundação Dom Cabral a partir de dados de 137 países.

Estar em conformidade com leis e regulamentos internos e externos, como se define compliance resumidamente, “tornaria o País muito mais competitivo num mercado mundial que está cada vez mais globalizado”, afirma José Nilton Cardoso de Alcântara, diretor da Intelijur, que organiza pelo quarto ano consecutivo evento sobre a importância do compliance para o desenvolvimento das nações. “Disseminar os conceitos de compliance e como é fundamental, a todos os setores e empresas de todos os portes, seguir suas regras para o crescimento dos negócios, tornou-se ainda mais importante nesse momento da economia brasileira, que precisa ainda avançar muito na direção de mitigar esses riscos”, analisa Alcântara.



José Nilton de Alcantara - Diretor da InteliJur

Distribuído em painéis com a participação de quatro a cinco executivos, do lado corporativo, as discussões serão sobre o “Compliance e os Programas de Integridade no Brasil” e o “Compliance e os Programas de Integridade no Exterior”, além de um painel com a participação de advogados especializados no tema. “Com base em todo o conhecimento adquirido durante o seminário, será possível aos participantes ter novas ideias que poderão ser implementadas, gerando crescimento profissional e empresarial. O evento ainda oferecerá a oportunidade de estabelecer networking com profissionais de renome no mercado, aumentando a rede de relacionamento e negócios”, afirma Alcântara.

Conforme Alcântara, a escolha do tema “Dilema e Perspectivas do Compliance” foi definida para abranger os questionamentos que cercam o compliance atualmente como ferramenta eficaz de combate a fraudes, o que revela que o mercado já atingiu certa maturidade, mas também mostrar por quais caminhos ele pode avançar ainda mais para coibir esses riscos.



José Nilton de Alcântara -Diretor da InteliJur - Inteligência Jurídica. Diretor-Presidente do FDJUR (Fórum de Departamentos Jurídicos). Professor da FGV no LLM de Direito Empresarial (Management - Gestão de Serviços Jurídicos). Professor convidado da GV Direito (Administração de Contencioso de Massa). Membro da Comissão Especial da Advocacia Corporativa da OAB Federal. Advogado e Administrador de Empresas. Professor convidado e palestrante em diversas universidades, empresas e cursos como: FGV, GV Direito, PUC-RS, IBMEC e UNISINOS. Especializado em Gestão Empresarial, Gestão de Pessoas, Marketing e Gerenciamento de Projetos pela FGV - Fundação Getúlio Vargas, Comércio Exterior e Marketing Internacional pelo Centro Interamericano de Comercialização/ OEA e Pós-graduado em Direito Civil e Processo Civil pela Universidade Estácio de Sá.

InteliJur é uma empresa de informação e relacionamento focada no mercado jurídico. Por intermédio do portal, reune advogados de empresas (FDJUR), advogados de escritórios e prestadores de serviços, com notícias, informações e pesquisas. Através do Diretório Jurídico é possível que os departamentos jurídicos ou outros advogados interessados em prestadores de serviços jurídicos encontrem os escritórios com perfil ideal para contratação. Eles podem selecionar o perfil do escritório selecionado por localização, porte do escritório, áreas jurídicas de atuação e até por setores da economia que o escritório tenha expertise.

FDJUR – Fórum de Departamentos Jurídicos – é o maior e mais completo fórum de relacionamento e discussão de boas práticas na gestão de departamentos jurídicos do País. Foi criado há dez anos como uma associação sem fins lucrativos e exclusiva para profissionais de departamentos jurídicos. Por intermédio de ampla rede de contatos, interage com mais de 10.600 profissionais de departamentos jurídicos em 4.887 empresas. Tem a missão de estimular e promover debates, estudos e pesquisas; investir no conhecimento técnico, além de valorizar, reconhecer e premiar as boas práticas de gestão na área.

Uma área de informações relevantes ao advogado interessado em aprimorar seus conhecimentos em gestão.

Participe

Oportunidades

Boletins Informativos