10/09/2018
  • Google+
  • LinkedIn

O departamento jurídico nos negócios digitais: robôs dão a agilidade necessária ao volume do Agibank

Por Galeria de Comunicações

O AgiBank é um banco digital brasileiro considerado a primeira instituição financeira do mundo a transformar o número do celular, no número da conta corrente do cliente. No olho do furacão da revolução tecnológica, o departamento jurídico precisa acompanhar várias demandas e, no momento, eles estão passando atividades operacionais para máquinas e, intelectual, para os colaboradores. Na esteira da polêmica tendência mundial da transformação do mundo dos negócios, o AgiBank está entre os dez finalistas do Prêmio de Melhores Práticas na Gestão de Departamentos Jurídicos. No evento de apresentação dos dez finalistas que acontece no dia 27 de setembro na capital paulista, o César Fraga que é o Legal Team Leader do AgiBank será um dos palestrantes, e nos dá abaixo uma ideia do que irá apresentar no próximo dia 27 de setembro na capital paulista:




Explique um pouco o projeto da sua empresa inscrito no Prêmio Melhores Práticas na Gestão de Departamentos Jurídicos. O que é, é inusitado no mercado, quais os principais diferenciais em relação a propostas similares já existentes?

Conforme relatado na inscrição, tínhamos uma enorme dificuldade e consumo de tempo na busca de subsídios em mais de 11 sistemas independentes, cada um com um acesso (login e senha) e com layouts diferentes. Em conjunto com uma startup definimos a criação de um robô que realizasse essa atividade de forma rápida e com maior assertividade. A implantação foi realizada de forma gradativa e com o cuidado necessário para ajustar os sistemas na medida em que apresentavam eventual falha.

A decisão de implantar os robôs foi um passo importante, pois caso isso não ocorresse no momento em que foi implantado, talvez hoje estivéssemos com um quadro  maior de colaboradores, além disso, criamos um mindset voltado para a inovação e busca de solução para a substituição de trabalhos operacionais, por atividades intelectuais e que aproveitam melhor o potencial da equipe.


Como é a atuação do departamento jurídico no AgiBank?

Somos uma empresa de tecnologia que tem licença bancária, esse é o perfil de nossa empresa. O Banco Agibank desenvolveu internamente uma plataforma de conta corrente digital que visa à inclusão bancária, trabalhamos fortes em operações de crédito de varejo realizando  mais de 130.000 operações/mês. Em que pese o volume de negócios a quantidade de demanda em números relativos é baixa, porém em números absolutos é bem significativo. O jurídico além de atender as demandas judiciais e de PROCON, atendemos canais de Ouvidoria, Consumidor.gov, Ouvidoria Bacen (RDR) e demais canais secundários, tendo em média 2.500 demandas/mês que exigem respostas e controles formais. A área conta com 22 colaboradores e responde para a Diretoria de Riscos.  


Como analisam o fato de o projeto já estar entre os dez classificados para a final?

Esse é um dos projetos, na realidade o primeiro para tornar o jurídico adequado à evolução tecnológica que o Grupo Agibank está vivendo, estamos em paralelo com mais alguns desenvolvimentos que fazem parte da estratégia de repassar atividades operacionais para máquinas e intelectual para os colaboradores. Para nós foi uma surpresa, inscrevemos sem maiores pretensões, mas ficamos muito felizes com o reconhecimento, agora é buscar ficar entre os três melhores, pois será um reconhecimento para toda a equipe composta por 22 pessoas.


Como você avalia essa premiação específica para os departamentos jurídicos de empresas?

O reconhecimento é sempre importante e a existência da premiação estimula a pensar fora da caixa e criar soluções para uma área tão tradicional e que de certa forma tem resistência a mudanças. Já estamos pensando nas próximas implantações e certamente inscreveremos essas melhorias no próximo ano.


Fique à vontade para fornecer informações que considerar relevantes sobre o projeto, sua empresa e departamento jurídico?

O Agibank é uma instituição que cresce de forma rápida, exigindo do departamento jurídico muita resiliência e capacidade adaptação constante, nosso papel vai além da execução de atividades que visem defender a companhia ou da simples reação, estamos presentes também na parte estratégica, desenvolvimento de produtos e consultoria. Procuramos manter o foco mitigando riscos, na busca constante de evolução tecnológica.



 
InteliJur é uma empresa de informação e relacionamento focada no mercado jurídico. Por intermédio do portal, reúne advogados de empresas (FDJUR), advogados de escritórios e prestadores de serviços, com notícias, informações e pesquisas. Através do Diretório Jurídico é possível que os departamentos jurídicos ou outros advogados interessados em prestadores de serviços jurídicos encontrem os escritórios com perfil ideal para contratação. Eles podem selecionar o perfil do escritório selecionado por localização, porte do escritório, áreas jurídicas de atuação e até por setores da economia que o escritório tenha expertise.

FDJUR – Fórum de Departamentos Jurídicos – é o maior e mais completo fórum de relacionamento e discussão de boas práticas na gestão de departamentos jurídicos do País. Foi criado há dez anos como uma associação sem fins lucrativos e exclusiva para profissionais de departamentos jurídicos. Por intermédio de ampla rede de contatos, interage com mais de 10.600 profissionais de departamentos jurídicos em 4.887 empresas. Tem a missão de estimular e promover debates, estudos e pesquisas; investir no conhecimento técnico, além de valorizar, reconhecer e premiar as boas práticas de gestão na área.

Uma área de informações relevantes ao advogado interessado em aprimorar seus conhecimentos em gestão.

Participe

Oportunidades

Boletins Informativos